Será que vamos falar de tecnologia da informação? Não…vamos falar aqui sobre você se permitir o seu tempo.

Isto mesmo, de mais ninguém! S.e.u t.e.m.p.o.

Não será um artigo sobre egoísmo, visão egocêntrica no mundo – Não mesmo…a proposta é refletirmos sobre você!

Me conte, há quanto tempo você não faz isto?

Não falo de tirar aquela “pseudo férias enlouquecidas” que você não curte nada, pois fica no e-mail, no tablet, no celular nas ligações, nos bastidores ajudando algo. E o pior, às vezes, acredita que uma semana será ótimo para descansar e realizar tudo que deseja e recarregar as baterias.

Já ouviu isto? Já presenciou isto? Já fez isto?

Deste modo, você está ausente fisicamente, mas, continua “plugadão.”

Tá bom…você não trabalha, mas, sim, estuda. Ou, não trabalha e não estuda, mas, se ocupa do lar ou de outras tarefas – não importa este nível de detalhamento. Aqui importa, o seu precioso tempo.

Sabe quando você está em algo muito chato, que seu corpo esta presente, mas a sua mente não?
Já se pegou fazendo quadradinhos no papel?
E voltas e voltas que parecem círculos concêntricos da matemática?

Ou, o desenho da interseção dos conjuntos ?
Ahhh, tem uma pior que esta – e é a “cara do tédio”, treinar a sua assinatura no papel, centenas de vezes como se estivesse em uma aula de caligrafia, para checar qual ficou mais bonita, kkk.
Só você mesmo!!! Pior que não, todos nós já passamos por isto em algum momento da nossa vida.

Em uma reunião que parece não ter fim nem objetividade; em uma sala de espera, que você chegou pontualmente e não está sendo atendido; em casa tendo que focar em alguma atividade, mas, não está dando certo; em um trabalho da faculdade que todos falam, falam e não concluem nem quem será o orador; em uma aula com um professor prolixo daqueles…e  etc.

Então aqui vai a mensagem revolucionária, rs.

Se permita “viajar” em pensamentos. Liberte suas ideias e foque em outras coisas.
Ninguém vai morrer e nem você mesmo – o mundo não vai parar, sabe aquela expressão seja mais easygoing (literalmente, jeitão fácil de levar as coisas, cabeça fresca) vale a recomendação.
Nestes momentos, às vezes, você pode ter grandes insights.
Sonhe mais, ouse mais !

Desplugue sim, seja autêntico (por favor, sem alienação). Tenha orgulho de você! Tenha orgulho do que faz bem (e não seja tolo em não ensinar, transmitir aos outros). O seu tempo desplugado, pode ser agregador e conectar muitas coisas para uma outra pessoa. Para você mesmo. Ressignificar !!!

Questione as suas fraquezas, quando estiver se cobrando muito. Não tente ser perfeito.
Não tenha vergonha, tenha atitude.
Ninguém sabe tudo. Quem se considera o gênio da humanidade, tem alma pequena. A falta de humildade é uma das piores mazelas.

Não faz bem ficar conectado 24h, plugado criticando todos e tudo; plugado que nem esboça mais um sorriso; plugado que não tem tempo para uma palavra de apoio; plugado que acha que esperança não existe ?

Deve ter algo errado que precisa ser compensado. É sinal que tem que desplugar.

O plugado aqui se ” ainda” pairou uma dúvida é metafórico. Neste caso é como um sinônimo de estressado, no limite…

Resgate em seu cotidiano, momentos para relaxar a mente e o coração.

Depois de um dia estressante, se permita rir indo para a casa. O ônibus não passou? Está chovendo e você está encharcado? O dinheiro está contado que não dá nem para um café? Tudo bem. Qual o problema de ter tomado um banho de chuva ? Se o ônibus não passou, o que você pode fazer? Outras linhas e itinerários, podem demorar a chegar, mas, ande quarteirões a mais – se force a um exercício de repente, não programado; pense em outras alternativas de renda financeira que saiba fazer e que goste. Leia casos de sucesso no mundo para se inspirar anda mais. Tem inúmeros corporativos e de pessoas a frente do tempo, que recomendo: o da LEGO; o da KFC; o do Alibaba, etc.

O mundo não vai parar. Lembre-se, todos já tiveram na vida exemplos de momentos: constrangedores, de alegria, de raiva, de entusiasmo, de desespero, de medo, de convicção, de dúvida, de bobagem, de vergonha…momentos de TUDO mesmo.

E ao chegar em casa, que tal brincar de pedra, papel e tesoura?

A autora pirou de vez? Não …

Se permita “desplugar” conscientemente e  quebrar a rotina tão rígida que o mundo contemporâneo imprime.

Viva as coisas simples. Ria mais de si mesmo. Valorize os bons momentos da vida e que pode estar deixando passar; o pedra, papel e tesoura; o dominó; o brincar de forca – adivinhar as palavras, viu ….não vai querer matar ninguém, rs.

Liberte o lado criança que existe em você. Sim, você ainda tem este lado. Encontre-o.

Lembre-se, cada vivência é uma experiência para sempre. Ninguém tira de você.

E para terminar este artigo, um pouco que sempre é muito, de Carlos Drummond de Andrade – e o poema, História Natural.

“Cobras cegas são notívagas.

O orangotango é profundamente solitário.

Macacos também preferem o isolamento.

Certas árvores só frutificam de 25 em 25 anos.

Andorinhas copulam no voo.

O mundo não é o que pensamos.”

Refletiu? Desplugou aqui para se conectar novamente?

É preciso… pois achamos muito, comprovamos pouco e sabemos nada.

Um forte abraço e que você seja sempre feliz,

Cláudia Danienne Marchi

Sócia Diretora Degoothi Consulting

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *