Um dos maiores líderes inspiradores do Brasil, Lemann, fala em entrevista sobre seu maior erro

Um dos maiores líderes inspiradores do Brasil, Lemann, fala em entrevista sobre seu maior erro


São Paulo – Aprender com os próprios erros é uma máxima que já se tornou clichê. No entanto, quando se trata do maior bilionário brasileiro, as lições são certamente valiosas.

O podcast da gestora de investimentos Rio Bravo entrevistou Jorge Paulo Lemann sobre sua carreira, política e educação no Brasil.

Perguntado sobre o maior erro de sua carreira, Lemann diz que cometeu vários e aprendeu com eles. A maior lição, conta, foi aprendida no Garantia, banco comprado por ele e pelos sócios Marcel Telles e Beto Sicupira e mais tarde vendido.

“O maior erro do Garantia é que era uma organização visando o curto prazo”, afirmou ele ao podcast. De acordo com ele, os bônus semestrais por resultado e a rápida promoção dos funcionários em sócios levaram a companhia a se focar apenas no curto prazo.

“Percebemos que precisava mudar muito ou não ia para frente”, afirmou. Por isso, no 3G, empresa de private equity fundada por ele em 2014, a visão era outra, voltada a um crescimento mais perene, conta. Para ele, o método 3G de gerir companhias é “ter poucos negócios, muito foco, fazer com capital próprio e construir no longo prazo”.

Segundo ele, construir uma empresa lucrativa e com foco no longo prazo é algo que falta a algumas startups.

“Startup em geral é de gente que não tem dinheiro, então tem um objetivo. O que é curioso é que antigamente a maneira de ganhar dinheiro rápido era montar uma empresa que desse lucro. Mas hoje o objetivo é gerar histórias capazes de captar mais dinheiro de novos investidores”, afirma.

“Mudou a ótica de ganhar dinheiro, para fazer uma história bonita para tomar dinheiro de todo mundo que quer investir em startups. Acho que tem muita startup aí que o pessoal está levantando dinheiro a preços absurdos”, diz.

Mesmo assim, o empresário é otimista com o cenário de empreendedorismo brasileiro. “Tem muita coisa boa aqui. Em todo lugar que eu vou tem algum sujeito começando alguma coisa e com sucesso”, fala.

Veja matéria completa: http://exame.abril.com.br//